sábado, 5 de junho de 2010

A LIA QUE LIA LIA” & “A SARA SARDAPINTADA

Espectáculo para crianças com Anthero Monteiro

Histórias poéticas da autoria de Anthero Monteiro, lidas por Diana Devezas e pelo poeta, retiradas de livros seus em que aquelas personagens assumem o papel principal, gente afinal de carne e osso como aqueles – os mais jovens - a quem se destinam os poemas.

O autor tenta, assim, despertá-los para a poesia, brinca com eles, fá-los participar e acreditar que também eles serão capazes de escrever histórias rimadas como estas, em que entram também, entre outros, uma Carolina atacada de aracnofobia, um Rodrigo autor de mil tropelias, um músico-soldado, um morto-vivo, um rebanho de carneiros muito útil para curar insónias, um comboio que pode descarrilar de um momento para o outro e uma sexta-feira-treze propícia a todo o tipo de acidentes.

Encontro com o ilustrador António Modesto

O Prof. Dr.º António Modesto quis apresentar às crianças a sua vida no mundo da ilustração na literatura infanto-juvenil e fez uma retrospectiva do seu trabalho num formato de auto-critica. Para acompanhar a sua exibição, mostrou a sua exposição no átrio da Biblioteca e explicou as suas técnicas e quais os desenhos que serviram para ilustrar que livros, também estes expostos no mesmo espaço.


quarta-feira, 2 de junho de 2010

Encerramento do 3.º Trimestre “O CLUBE DOS CONTOS”

Os alunos do 4.º ano da Escola EB1 Joaquim Nicolau de Almeida apresentaram duas histórias encenadas de Maria Alberta Meneres retiradas do seu livro “100 Histórias de Todos os tempos” e outras duas, escritas por duas das alunas, Ana Luísa e Ana Isabel.

Sentimentos como a moral e a sensatez, estão sempre presentes nas histórias de Maria Alberta Meneres e os contos tradicionais que foram narrados e encenados pelos alunos desta escola, intitulavam-se “O velho, o rapaz e o burro” e “O velho e seus filhos”. Tivemos a surpresa de duas alunas que nos presentearem com duas histórias escritas e narradas por elas e que foram encenadas pelos seus colegas - a primeira chamava-se “A riqueza e a pobreza” de Ana Luísa Pintão e a segunda “Os três irmãos” de Ana Isabel Caldeira.

Foram momentos de emoção e júbilo, quer para as crianças que participavam mas também para quem assistia, nomeadamente colegas, professores e pais que acompanharam este espectáculo com alegria e orgulho.

No final, alguns alunos, representantes da escola, homenagearam e agradeceram às pessoas que os apoiaram neste projecto, presenteando-as com um ramo de flores, nomeadamente as Educadoras Cristina Jardim e Alzira Santos que os ajudaram no trabalho de encenação e a nossa Directora Dr. Cristina Margaride, pelo concepção desta iniciativa e abertura do espaço onde puderam apresentar o seu espectáculo.

A Dr. Cristina Margaride fez o encerramento da sessão elogiando o empenho e trabalho dos alunos e professores de mais um ano de Clube dos Contos (2009/2010) e em especial pela originalidade de duas das histórias terem sido escritas por alunas da escola. Num gesto carinhoso e bonito ofereceu a cada uma das pequenas autoras uma flor do seu ramo e também a uma criança cuja representação se destacou e que estuda teatro no Conservatório, como representante do Teatro Amador em Gaia, que muito nos orgulha. No sentido de tornar este dia memorável ofereceu à escola um conjunto de livros para a Biblioteca, um Certificado e uma T-shirt para cada uma das crianças participantes.


Escola presente:
Escola EB1 Joaquim Nicolau de Almeida (4. ano)


Contos Tradicionais Açorianos de Teófilo Braga

A autora gaiense Prof.ª Dr.ª Anabela Mimoso teve o privilégio de ser apresentada pela amiga e colega Prof. Dr.ª Maria do Rosário Girão, professora da Universidade do Minho. Na mesa contou-se também com a presença da Dr.ª Cristina Margaride, Directora da Biblioteca de Gaia que fez a apresentação da convidada e com o ilustrador da obra recentemente publicada “ Aquela palavra mar”, que nos confessou ter sido um prazer trabalhar com a escritora.

Foi uma apresentação dupla porque contemplou não só a análise do livro “Contos Tradicionais Açorianos de Teófilo Braga” mas também o livro de literatura infanto-juvenil da autora intitulado “ Aquela palavra mar”.

A escritora mostrou-nos as suas duas vertentes literárias, uma num contexto de trabalho de investigação sobre a literatura tradicional e outra como o conto infantil e em ambos os trabalhos conseguiu mostrar o brilho da sua qualidade de escrita e de excelente comunicadora, seja para que público se trate – de adultos, jovens ou infantil.
















segunda-feira, 31 de maio de 2010

Encontro com a ilustradora Fedra Santos

A ilustradora Fedra Santos, cujo mentor foi o nosso ilustríssimo homenageado Professor Dr. António Modesto, comunicou com as crianças através da sua própria linguagem – o desenho e com eles construíram uma história de amor entre dois animais… aqui vai a história:


Era uma vez um urso que era gordo do lado direito e magro do lado esquerdo.
Era um urso muito estranho.
Alguém lhe atirou uma seta.
O urso ficou zangado.
Ficou tão zangado que soltou raios pela boca.
Ficou tão zangado que começou a chover.
Quando a dor passou, apareceram-lhe corações nos olhos.
As nuvens fugiram e surgiu o sol.
Estava apaixonado!
A seta tinha sido atirada pelo cupido.
Como o cupido era muito malandro, fez o urso apaixonar-se por uma rã pequenina.
A rã era vaidosa, vestia uma saia rodada.
Olhava para o urso, piscava-lhe os olhos e atirava-lhe beijinhos.
O urso era muito grande, a rã era muito pequena.
Foram pedir ajuda à Bruxa Furibunda.
Chegaram a casa dela e ela estava furibunda!
A filha, a Bruxinha Range-Dentes, tinha atirado um feitiço à mãe.
Os dentes da Bruxa Furibunda caíram todos ao chão.
Elas foram para o dentista.
Antes disso, a Bruxa Furibunda lançou um feitiço à rã.
Transformou-a numa girafa com um pescoço do tamanho de um arranha-céus.
gora, o urso era muito pequeno e a rã era muito grande.
Pediram ajuda a um feiticeiro bonito com asas de morcego e um chapéu pontiagudo.
O feiticeiro transformou o urso num “girafo” (girafa-macho).
O urso-girafo e a rã-girafa deram um beijinho.
Tiveram dois filhos: um "girafinho" e uma girafinha.
Quando iam dormir, aparecia sempre o Papão.
Um polícia quis prender o Papão.
A mãe do Papão pediu-lhe que não levasse o filho.
O Papão não faz mal a ninguém, só gosta de pregar sustos.

http://www.fedrasantos.blogspot.com/



Houve quem quisesse desenhar, o Guilherme, que desenhou um fantástico Papão e a Beatriz que desenhou a mãe do Papão – as crianças deram boas ideias para a construção da história e imaginação não faltou. Fedra Santos mostrou alguns dos seus trabalhos, as técnicas e materiais que utilizou e autografou os livros da Biblioteca desta Escola.




Escola presente:
Escolas: Jardim de Infância J. N. Almeida

sábado, 29 de maio de 2010

O Nabo Gigante - Grupo "Particulas Elementares"

Desde 2003, a Companhia Partículas Elementares, espectáculo após espectáculo, vem conquistando o público por todo o país, no cenário do teatro infantil e de marionetas.

Vem criando cumplicidades directas e precisas com as crianças e adultos, concretizadas através de histórias simples, delicadas e com a devida dose de poesia, que nos envolvem no primeiro instante.

Partículas Elementares pretende fazer da sua actividade artística um forte instrumento de enriquecimento do imaginário infantil, actuando directamente na formação de cidadãos criativos e sensíveis, prontos a responder com afecto e respeito ao próximo e aos desafios da vida futura.

Mostra que para contar uma boa história, basta deixar correr solta a fantasia!


sexta-feira, 28 de maio de 2010

Encontro com a escritora Anabela Mimoso

A escritora e professora Anabela Mimosa fala com as crianças sobre o seu mais recente livro “ Aquela palavra mar”. É uma história passada numa ilha dos Açores e de uma menina chamada Luana que só conhece a sua ilha, a lua, o sol e o mar – para além do horizonte há um outro mundo que lhe é completamente alheio.

As crianças fizeram imensas perguntas sobre o livro e sobre a vida da escritora e ficamos a saber que Anabela Mimosa começou a sua vida literária pelo género poético e só mais tarde se dedicou inteiramente à prosa. Ainda jovem ganhou um prémio de poesia na escola e o pai publicou-lhe um livro sobre uma serie de poemas que escreveu naquela altura. O seu primeiro livro de poesia chama-se “Fraga” e o primeiro livro que escreveu para crianças foi “História de um Rio Contada por um Castanheiro “. Actualmente conta com mais de 40 livros publicados entre literatura infantil e manuais escolares e desvendou o titulo do próximo livro a publicar, “Rosaleta”, dedicado à sua netinha. Todos os seus livros marcaram uma época e estados de espírito de bons ou menos bons momentos da sua vida e por isso cada um tem um gosto e carinho especial. Foi uma sessão dinâmica que quase deixou a escritora sem fôlego para tantas perguntas e tanta curiosidade dos jovens leitores.